José Cid

Com uma carreira com mais de 50 anos, José Cid, cantor, compositor, músico, instrumentista e produtor musical começou a destacar-se no panorama musical, nos finais dos anos 60 do século passado, com o Quarteto 1111, um dos mais inovadores projetos musicais de que há memória. Em maio de 1967, edita o seu primeiro álbum a solo e inicia um intensa atividade, como cantor, músico e autor. Em 1973, lança um dos seus maiores êxitos, “Vinte Anos”. Participa, em 1975, no último single dos Green Windows. Em 1978, lançou o álbum “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”, um marco na história do rock progressivo, que viria a obter, mais tarde,

reconhecimento a nível internacional, sendo incluído numa lista de 100 melhores álbuns de rock progressivo do mundo, organizada pela revista americana Billboard.
Após várias participações, em 1980, vence o Festival RTP da Canção com a música “Um grande, grande amor”, e, em 1998, vence, de novo, com os Alma Lusa e o tema “Se Te Pudesse Abraçar”. Em 2000, publicou o livro “Tantos anos de poesia”. Em 2009, recebeu o prémio de consagração de carreira pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), sendo o primeiro músico a ser distinguido.